“O Remo Indoor salvou minha vida”

O ex-jogador da Liga Nacional de Futebol Americano (NFL), Lowell Caylor, nunca imaginou que dedicaria a sua vida a um novo esporte após a aposentadoria e isso acabaria salvando a sua vida.

O remo indoor salvou minha vida

Provavelmente você não conhece Caylor, porque o futebol americano não é muito popular aqui no Brasil, mas sua história merece ser contada. Quando ele ainda jogava no time Cleveland Browns, constantemente via os jogadores aposentados voltando para visitar o clube e sempre chamava a sua atenção, o fato de a maioria deles estarem fora de forma. Então ele fez uma promessa a si mesmo, de permanecer em forma durante a sua aposentadoria.

Calylor se aposentou dos campos na década de 80 por conta de algumas lesões que o impediram de continuar jogando. Se mudou para Denver e começou a trabalhar na venda de softwares e se manteve correndo, fazendo aulas de aeróbica e fazendo musculação na academia. E foi lá que ele viu a máquina de Remo Indoor pela primeira vez na vida.

As máquinas normalmente estavam vazias, mas nesse dia havia uma jovem remando. Conversando com ela, descobriu que era uma remadora olímpica. E ela ensinou o movimento da remada à ele. A partir daquele dia, ele não parou mais. O Remo Indoor passou a ser a sua única forma de se exercitar.

“Eu descobri que eu adorava o remo porque quanto mais trabalhava, melhor me sentia, e tudo o que você der a essa máquina, ela vai devolver para você”, disse Caylor.

Então em 2006, Caylor estava terminando um treino em sua casa quando sentiu uma pressão estranha no peito. Ele terminou o treino mas a sensação permaneceu. Então ele ligou para sua esposa que o levou para a Emergência na mesma hora. Depois de ser examinado e fazer alguns exames, o médico descobriu que Caylor tinha 100% de bloqueio na artéria coronária direita. E o médico ainda afirmou que único motivo de ele estar vivo, era por causa dos treinos de Remo Indoor.

Depois da cirurgia, ele fez alguns testes e se saiu muito bem. Ele não só sobreviveu a um ataque cardíaco, como também não sofreu nenhuma sequela. Seus músculos estavam tão fortes por causa do Remo Indoor, que ele se recuperou muito rápido.

“Naquela altura eu sabia que ramaria pelo resto da minha vida”, disse Caylor. “Eu sabia como o remo me fazia sentir, não só fisicamente, mas mentalmente, então decidi que queria compartilhar isso com outras pessoas. É por isso que eu queria abrir um estúdio de remo.” Mas para isso, pensava que ia ter que ter um espaço muito grande e muitas máquinas.

Foi então que numa viagem a Los Angeles, ele conheceu o estúdio de Remo do Campeão Olímpico Xeno Müller. Era um espaço pequeno, com apenas 10 máquinas. Então voltou pra casa decidido a ter o seu próprio estúdio.

E foi assim que, desde 2008, Caylor dirige o Greenville Indoor Rowing. O clube cresceu de duas aulas por semana com cinco máquinas, todas ministradas por ele, para 24 aulas ministradas por 12 outros instrutores. 

Greenvilee Indoor Rowing

Além disso, ele também participa de várias competições de Remo Indoor. Já ganhou várias medalhas ao longo dos anos, incluindo várias do CRASH-Bs (maior competição de Remo Indoor do Mundo) e, mais recentemente, uma medalha de ouro do Tennessee Indoor Rowing Championships. (Clique aqui para saber mais sobre as Competições de Remo Indoor).

Caylor é só um dos exemplos de pessoas que tiveram suas vidas transformadas através do Remo Indoor. Quer ser uma delas? Acesse nosso site pelo link e saiba mais.

Fonte: USRowing

Publicado por Remo Fitness

Olá, criamos o Remo Fitness para que as pessoas possam conhecer um pouco mais dessa atividade física que é o Remo Indoor. Nós somos: Fabiana Beltrame: "Fui atleta de remo por 19 anos e conquistei vários títulos inéditos para o Brasil. Em 2004, me tornei a primeira remadora brasileira a competir em Jogos Olímpicos em Atenas. Também competi nos Jogos Olímpicos de Pequim 2008 e Londres 2012. Em 2011, me tornei a primeira campeã mundial de remo do Brasil, na Eslovênia. Também tenho 6 medalhas em Copas do Mundo, 2 medalhas em Pan Americanos e 9 títulos Sul americano. Júlio Soares: "Fui atleta de remo, me formei em educação física, entrei na preparação física no mesmo clube onde fui atleta, passei a técnico de clube em Florianópolis e no Rio de Janeiro, chegando a técnico da seleção brasileira de remo. Permaneci como Head Coach da Seleção até o ciclo olímpico 2016. E durante essa caminhada, fiz mestrado na Unicamp em Educação Física na área de ciências do desporto. Desenvolvi e experimentei diferentes formas de treinamento com Fabiana em clube e na seleção e com muitos outros atletas em alto rendimento."

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: